Carregando...

quarta-feira, 20 de março de 2013

“ALGO PRECISA SER FEITO”


O Município de Xapuri tem aproximadamente 16 mil habitantes. É uma cidade considerada pacata por muitos, tanto que recebeu o nome de Princesinha do Acre, não apenas por sua calmaria mas pelo curso da sua história também.

No ano de 2013, essa paz foi abalada por episódios trágicos que ocorreram no início do ano na zona urbana de nossa cidade. Tais episódios deixaram a população xapuriense apreensiva e uma pergunta foi feita: “o que está acontecendo na princesinha do acre?” e em seguida uma afirmação: “algo precisa ser feito.”

Certamente algo precisa ser feito. Para tanto, é necessário entender como Xapuri encontra-se hoje em relação a situações pertinentes e que tem relação com os eventos criminosos que ocorrem em nossa cidade.
Xapuri é um cidade que tem 116 pontos de venda de bebidas alcoólicas, incluindo-se nesse número: os bares, casas noturnas, comércios, distribuidoras e congêneres, ou seja, existe um ponto de venda de bebida alcoólica para cada 137 habitantes, aproximadamente. Percebe-se claramente que o número de locais que comercializam bebidas alcoólicas é exorbitante.

Quando as autoridades tentam diminuir o número de pontos de vendas de bebidas alcoólicas ou pelo menos diminuir os seus horários de funcionamento, são severamente criticados e crucificados.

Além disso, as festas dançantes em Xapuri começam na quinta-feira, seguindo até domingo. Não bastasse isso, o número de festas por dia aumentou consideravelmente após o fechamento, temporário, do Mirantes Bar. Para se ter um ideia, no sábado tem-se a realização de 06 festas: Bar Tropical (Forro da Vivi), Forro do Juvenal, Damião, The Club Paulista, Estilos Bar  e Sibéria. Todos esses locais comercializam bebida alcoólica e o consumo da substância é excessivo.

Esse número elevado de festas em um mesmo dia, impossibilita que a polícia militar faça segurança pública em todos os locais pois como já foi dito, a segurança pública não deve ser restrita a locais de eventos dançantes em que o consumo de bebidas alcoólicas é o combustível da violência.

Para melhor entender a dinâmica da criminalidade no município de Xapuri, ilustraremos, estatisticamente, a relação existente entre os crimes e os locais que vendem bebidas alcoólicas. Para tanto usaremos como base o ano de 2012.

No ano de 2012 foram atendidas 1250 ocorrências policiais civis e militares no município de Xapuri, sendo que 557 foram atendidas pela Polícia Civil e 693 pela Polícia Militar.

Em 2012 foram atendidas 278 ocorrências em bares, casas noturnas ou em suas proximidades, ou seja, cerca de 22% de todas as ocorrências foram em locais de realização de festa ou suas proximidades. Se levarmos em conta apenas as ocorrências atendidas pela Polícia Militar, essa porcentagem salta para a casa dos 40%, número extremamente elevado para uma cidade pequena como Xapuri.

Em relação aos fatores que motivam os crimes, percebe-se que a embriaguez aparecem em destaque como fator motivador para cometimentos de delitos. Das 649 motivações registrada, 250, ou seja, 38,5% tiveram a embriaguez como fator motivador de cometimento de delitos. Portando, a embriaguez é comprovadamente o combustível da criminalidade.

Como visto acima, ficou evidente que o consumo excessivo de substância alcoólica é o combustível para os mais diversos delitos. A oferta do produto é exacerbado e o número de festas em um único dia é exagerado.

Em suma, algo realmente precisa ser feito e a responsabilidade para as mudanças não passa apenas pelos órgãos de Segurança Pública do Município de Xapuri, a sociedade como um todo tem que querer mudar, os representantes do povo precisam se envolver mais, as mídias locais precisam cobrar mais de outros órgãos e não apenas da Polícia Militar. Todos são responsáveis pela segurança pública.

2 comentários:

  1. Essa é de fato a nossa realidade.Se cada um fizer sua parte em breve teremos de volta a paz que tanto almejamos.

    Cidadão Xapuriense.

    ResponderExcluir
  2. Realmente algo precisa ser feito. Mas para se construir um processo de saída para a realidade da violência em Xapuri, devemos começar pelo “minha culpa”. As instituições que fazem a segurança publica de Xapuri (Policia Militar e Policia Civil) estão falhando. Digo isso, pois se a PM afirma que não tem pessoal e estrutura para cobrir todas as festas que se realiza na cidade e se a Policia Civil emite autorização para que estas ocorram, mesmo sem a devida segurança, acredito que está ocorrendo no mínimo uma falha na comunicação, ou será que é muito difícil o Comandante da PM de Xapuri se reunir, com o Delegado de Xapuri e expor a situação para chegarem a um consenso que seja melhor para a sociedade xapuriense, ou isto e pedir demais as duas autoridades municipais diretamente envolvidas com a segurança do município, Vou mais além ainda, porque a Prefeitura e a Câmara de Vereadores, bem como a Promotoria de Justiça não participam de tal reunião, pois se existem muitos estabelecimentos comercializando bebida alcoólica e porque a PMX (Prefeitura Municipal de Xapuri) emite alvará para que eles funcionem e se a Prefeitura começar a caçar estes alvarás dos estabelecimentos que não tem as mínimas condições de higiene (presenças de banheiros) e estrutura física para comercializar bebidas, os Vereadores vão pressionar e vão alegar a questão social do sustento das famílias dos proprietários destes estabelecimentos e por fim a sociedade como um todo, porque continua frequentando os ambientes sem as devidas condições de funcionamento, com a segurança e higiene necessárias. Ou se parte para atitudes como estas, ou vamos continuar neste ciclo vicioso implantado na noite de Xapuri, que, diga-se de passagem, já foi menos violenta e com ambientes melhores, para se frequentar.

    ResponderExcluir