Carregando...

sexta-feira, 29 de março de 2013

John Piper – Do Que se Trata a Sexta-feira Santa (Amor ao Extremo)

piper-uttermost
Sexta-feira Santa
Por isso, também [Jesus] pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. (Hebreus 7:25) 

A grande paixão do autor de Hebreus é que “acheguemo-nos” a Deus (Hebreus 4:16, 7:25, 10:22, 11:6). Achegue-se a seu trono para encontrar toda a ajuda de que precisa. Achegue-se a ele, confiante de que ele nos recompensará com tudo o que ele é por nós em Jesus. E isso é claramente o que ele quer dizer em Hebreus 10:22, porque o versículo 19 diz que temos confiança para entrar no santo lugar, ou seja, o novo “santo dos santos” celestial, como aquele aposento interior no antigo tabernáculo do Antigo Testamento onde o sumo sacerdote se encontrava com Deus uma vez por ano, e onde sua glória descia sobre a arca da aliança.

Então aquele mandamento, aquela exortação que recebemos em Hebreus 10:19-22 é para nos achegarmos a Deus. O grande alvo desse autor é que nos aproximemos de Deus, que tenhamos amizade com ele, que não nos estabeleçamos numa vida cristã a uma distância de Deus, que Deus não seja um pensamento distante, mas uma realidade próxima e presente, que experimentemos o que os antigos puritanos chamaram de comunhão com Deus.

Tal achegar-se não é um ato físico. Não é construir uma torre de Babel, por suas próprias conquistas, para chegar ao céu. Não é necessariamente ir ao prédio de uma igreja, ou caminhar para o altar na frente. É um ato invisível do coração. Você pode fazê-lo enquanto está em pé absolutamente imóvel, ou enquanto está deitado em um leito de hospital, ou enquanto está assentado em um banco ouvindo a um sermão.

Achegar-se não é mover-se de um lugar para o outro. É um direcionamento do coração à presença do Deus que está tão distante quanto o santo dos santos no céu, e ainda assim tão perto quanto a porta da fé. Ele nos ordena que venhamos, nos aproximemos, nos acheguemos a ele.

O Centro do Evangelho

De fato, este é o âmago de todo o evangelho do Novo Testamento, não é? Que Cristo veio ao mundo para abrir caminho para que cheguemos a Deus sem sermos consumidos em nosso pecado por sua santidade.
  • “Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus” (1 Pedro 3:18).
  • “Porque, por ele [Cristo], ambos temos acesso ao Pai em um Espírito” (Efésios 2:18).
  • “Também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação” (Romanos 5:11).
Este é o centro do evangelho — é disso que se trata o Jardim do Getsêmani e a Sexta-feira Santa — que Deus fez coisas surpreendentes e dispendiosas para nos achegar. Ele enviou seu Filho para sofrer e morrer para que através dele pudéssemos nos achegar. Tudo é para que pudéssemos nos aproximar. E tudo isso é para nossa alegria e para sua glória.

Ele não precisa de nós. Se ficarmos longe, ele não é empobrecido. Ele não precisa de nós para ser feliz na comunhão da Trindade. Mas ele magnifica sua misericórdia ao nos dar livre acesso através de seu Filho, a despeito de nosso pecado, à única Realidade que pode nos satisfazer completamente e para sempre, a saber, ele mesmo. “Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente” (Salmo 16:11).

***
Por John Piper © 2013 Desiring God Foundation. Usado com permissão. Website em português: www.satisfacaoemdeus.org. Original: Love to the Uttermost (Free eBook for Holy Week)

Leia mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2013/03/john-piper-do-que-se-trata-a-sexta-feira-santa-amor-ao-extremo-79/#ixzz2OvmupH8e

Nenhum comentário:

Postar um comentário