Carregando...

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Vergonha: Capitão Santana é preso por tentativa de exploração sexual de vulnerável

Oficial ofereceu uma quantia de R$ 100 para manter relação sexual com menor.
Da Redação da Agência ContilNet
Menor foi convidada para jantar com o oficial
Menor foi convidada para jantar com o oficial
 
Foi preso na madrugada desta quarta-feira (25), em um balneário conhecido como “Canhoto”, na cidade de Cruzeiro do Sul, o capitão da Polícia Militar, João da Cruz Santana Filho, conhecido como Capitão Santana.


O oficial é acusado de oferecer dinheiro a uma menor de 12 anos, em troca de favores sexuais.


De acordo com informações da polícia, o oficial militar, que passa férias na cidade, teria convidado uma menor e uma mulher maior de idade para comer uma galinha caipira no restaurante do balneário.


A menor e a maior (que não tiveram os nomes revelados pela polícia) chegaram ao balneário na companhia de um amigo do capitão, que também está preso, identificado como Gílson Fernandes Guedes, morador da cidade de Cruzeiro do Sul.


No local, o militar começou a assediar a menor, tentando convencê-la a ir ao motel com ele, aonde iriam também a amiga da vítima e o amigo Gílson Guedes.


A menor não aceitou e, segundo a polícia, em depoimento afirmou que João Santana insistiu no convite, chegando a ofereceu a quantia de R$ 100 para que ela o acompanhasse ao motel.


A informação foi confirmada pela mulher que acompanhava a criança.


O capitão João Santana ainda teria tentado que a menor ingerisse bebida alcoólica, mas ela recusou. Após várias tentativas da menor, a dupla consentiu que ela chamasse um táxi para levá-las para casa, mas quando o carro chegou ao local, o capitão e seu amigo se recusaram a pagar a corrida.


Uma guarnição da Polícia Militar foi acionada pelas vítimas e pelo taxista; chegando ao local, os militares foram desacatados pelo oficial, que afirmou que não iria acompanhar a guarnição, além de tentar humilhar os policiais.


Após ordem superior, o militar foi preso e levado à Delegacia Especializada em Atendimento a Mulher (Deam). A reportagem entrou em contato por telefone com a delegada da unidade, Carla Ivani, que confirmou as informações.


De acordo com a autoridade policial, o oficial foi flagranteado com base no Art. 218-B do Código Penal que versa sobre: “Submeter, induzir ou atrair à prostituição ou outra forma de exploração sexual alguém menor de 18 (dezoito) anos ou que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, facilitá-la, impedir ou dificultar que a abandone”, com pena de quatro a dez anos de prisão, combinado com Art. 14, inc. II também do Código Penal: “diz-se o crime tentado quando, iniciada a execução, não se consuma por circunstâncias alheias à vontade do agente”.
A pena, neste caso, é correspondente ao crime consumado, diminuída de um a dois terços.


A menor, que mora em Rio Branco, disse à delegada que está em Cruzeiro do Sul para passar o aniversário de sua mãe, quando foi convidada para jantar com capitão e seu amigo. Após prestarem depoimento, a menor e a mulher que a acompanhava foram liberadas.


Por se tratar de um militar, João Santana está preso no quartel da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, aguardando pronunciamento da Justiça.


Gílson Fernandes Guedes está recolhido em uma das celas da Deam do Juruá e após prestar esclarecimentos, será encaminhado à penitenciária da cidade.

Fonte: http://www.contilnetnoticias.com.br/Conteudo.aspx?ConteudoID=29742

Nenhum comentário:

Postar um comentário