Carregando...

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Jovem segue conselho da mãe e engravida para viver à custa do governo


Comentário de Julio Severo: O título deste artigo é do jornal O Globo e, evidentemente, está errado. Se o governo tivesse seus próprios recursos, independente dos escravos que pagam impostos exorbitantes, poderíamos dizer que vagabundos vivem à custa do governo. Mas o governo, para dar alguma coisa a alguém, tem de tirar dos outros. Assim, quando a mulher que não quer trabalhar, mas engravida dos homens com quem se relaciona de forma imoral e irresponsável, ganha algo governo, seja salários altos e apartamentos, quem está pagando toda a conta na verdade é o cidadão trabalhador, muitas vezes um pai de família com orçamento apertado para atender às legítimas necessidades de sua esposa e filhos, mas que é legalmente forçado a bancar a conta de um monte de vagabundos por meio de absurdos impostos: um dinheiro que deveria ser usado para sua família, mas que é usado para sustentar vagabundos e suas bolsas-esmolas. O título mais correto para este artigo seria: “Vagabunda segue conselho da mãe vagabunda e engravida para viver à custa do cidadão que trabalha e paga impostos.” No passado, uma mulher para se sustentar arrumava um marido. Hoje, com o Estado assistencialista, ela “casa” com o governo e se sustenta e vive confortavelmente à custa dos maridos das outras. Pobres mulheres casadas! Eles são obrigadas a fazer grandes sacrifícios financeiros para não ultrapassar o orçamento doméstico que depende do salário de um marido que tem de pagar impostos para sustentar as vagabundas casadas com o Estado!
Sinead, tem 'alergia' a trabalho / Foto: Reprodução/Facebook(Sinead Clakson)
Uma mulher desempregada que mora em Manchester (Inglaterra) e vive às custas do governo britânico admitiu ao "Daily Mail" ter incentivado à filha, de 19 anos, a engravidar para gozar dos benefícios estatais e ter uma vida "sem trabalho e estresse". 

Sinead Clarkson, de 36 anos, tem dois filhos e nunca trabalhou. Nos últimos 20 anos, a britânica tem se mantido com a ajuda que recebe do governo por não ter trabalho e por causa das filhas: 1.200 libras (4.465 reais) mensais. 

Sinead e Melissa - Foto: Reprodução/Facebook(Sinead Clakson)
O conselho foi seguido. Melissa, a filha de Sinead, ficou grávida seis meses atrás. Ao tabloide londrino, a futura avó contou ter ficado "maravilhada" com a notícia.
Além da pensão do governo, Melissa receberá um apartamento de dois quartos do governo. 

Sinead e Amie / Foto: Reprodução/Facebook(Sinead Clakson)
"Eu disse à Melissa que usasse o sistema e engravidasse para ganhar mais benefícios, ter a própria casa e uma vida melhor. Eu não quero que ela trabalhe para ganhar migalhas", afirmou Sinead. 

A filha mais nova de Sinead, Amie, de 12 anos, já demonstra interesse em seguir os passos da irmã mais velha e também engravidar para não ter que trabalhar.
Fonte: O Globo
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

Nenhum comentário:

Postar um comentário