Carregando...

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Os 10 principais estratagemas vistos no comportamento petista na questão dos VTNC merecidos à Dilma

 

troglo
Espero, com esse texto, encerrar a série de posts onde comento o comportamento patológico dos petistas no ridículo patrulhamento ideológico que praticaram por que vários torcedores decidiram mandar a presidente tomar naquele lugar, em vários jogos da Copa (não apenas no Itaquerão).
O que pude notar, em todas as interações petistas a respeito do assunto, não é o lançamento de comentários honestos a respeito do tema, mas a execução de uma série de jogos políticos e estratagemas, todos eles desonestíssimos. Dito de outra forma, não há legitimidade alguma no discurso petista contra as vaias à Dilma, mas apenas jogo sujo. É como sempre digo: a linguagem para nós é uma ferramenta, mas para a extrema-esquerda é uma arma.
Hora de vermos, então, quais os jogos e estratagemas do PT para compor seus discursos no caso do VTNC do Itaquerão:
1. SIMULAÇÃO DE GUERRA DE CLASSES
Este é o jogo padrão marxista, que aqui foi jogado em duas configurações: pobres X ricos, brancos X negros. Obviamente, a culpa das vaias foi lançada sobre “a elite branca”. Mas como já vimos aqui, em um show do rapper Falcão, poucos dias atrás (antes do jogo no Itaquerão), um público miscigenado, com muitos pobres e negros na plateia, também disse “Dilma, vai tomar no c…”. Ou seja, a distinção criada pelo PT é mais falsa que menstruação de travesti, além de ser um caso gravíssimo de racismo, onde cabe processo.
2. AUSÊNCIA DELIBERADA DE SENSO DE PROPORÇÕES
Este é um jogo típico, no qual o jogador perde, de forma deliberada, todo e qualquer senso de proporções. Ninguém em sã consciência transformaria um VTNC em uma “abominação”, mas foi exatamente isso o que o PT tentou fazer. Como vimos aqui, Lula chamou o VTNC lançado contra Dilma da “maior vergonha que o país já viveu”. Isso vindo de um ex-presidente que chamou Itamar Franco de “filho da puta” e defende o barbarismo do MST (que chegou a agredir 30 policiais, deixando 8 deles em estado grave). Alias, é um presidente que não se furta em chamar os opositores de cretinos. Nesse caso, Rodrigo Constantino colocou Lula em seu devido lugar. Alias, recomendo muito o texto “A cretinice de Lula”, onde podemos até ver um vídeo onde, a mando de José Dirceu, militantes do PT, não apenas xingaram, como agrediram Mário Covas, que na época estava doente de câncer. Também devemos lembrar que Dilma Rousseff apoiou de forma integral a Marcha das Vadias, que em uma de suas manifestações chegou a até a fazer uma encenação com a inserção de um crucifixo no ânus de um deles, com a intenção de ofender os católicos. Diante disso tudo que o PT promoveu, um simples VTNC é uma “abominação”? É claro que estão com fingimento, pois para eles esse tipo de xingamento é a parte “polida” das conversas. Isso nos leva ao próximo jogo…
3. VITIMISMO ARTIFICIAL
É claro que nenhum petista entende o VTNC como uma “baixaria”. Para eles, como já disse, essa é a parte “polida” das conversas. Basta observarmos o comportamento do MAV na Internet para ver que o padrão se resume a ataques com base em violência psicológica extrema e ameaças de morte. Como eles sabem que um VTNC para eles é “carne de vaca”, precisam se fingir de ofendidos. Até por que uma presidente que financiou uma Marcha que insere crucifixo no ânus apenas para provocar católicos jamais se ofenderia com um VTNC. Lembre-se: essa é a linguagem deles. Eles não possuem limite moral algum, então é natural que eles não encontrem limites quando decidem ofender seus adversários. Por que se ofenderiam com um VTNC? Não, eles não se ofenderam. Estão apenas se fingindo de vítimas.
4. DUPLO PADRÃO
Todo e qualquer discurso deles nessa questão se baseia em duplo padrão. Assim, eles só tomam como ofensas aquilo que é feito pelos adversários. Já tudo que foi praticado por eles é automaticamente certo. Se você acha que isso é sintoma de um “transtorno mental”, pode até estar correto, mas muito mais provavelmente é uma estratégia política: agindo assim, eles sub-comunicam para a plateia que estão acima do bem e do mal. Logo, eles entendem que podem fazer o que quiserem. Eles podem ficar o dia inteiro ameaçando pessoas de morte, usando violência psicológica e todos os palavrões que a mente humana conseguir criar. Se você fizer 1% contra eles (em relação ao que eles fizeram contra você), eles protestarão, alegando serem “vítimas de violência verbal”. É por isso que ao olhar o histórico de ofensas praticadas por Lula e Dilma, não nos deixamos impressionar pelo vitimismo dessa turma em relação aos xingamentos contra Dilma no Itaquerão. Mas se você não é petista (ou aliado) e se deixou impressionar (falando algo como “é, eu sou contra Dilma, mas isso que fizeram no estádio é inadmissível”) então foi vítima deste jogo, junto com o anterior. Caso você tenha se deixado influenciar pois este jogo, pode ter certeza que o petista está rindo na tua cara neste momento.
5. “MACHISMO” POR CONVENIÊNCIA
Na visão da extrema-esquerda (adepta do marxismo cultural), sempre que alguém diferencia um homem de uma mulher na hora do tratamento, está sendo machista. É por isso que eles tratam as gentilezas que fazemos com as mulheres como “machismo”. Se eles acreditam nisso, por que usam o discurso dizendo que “uma senhora não pode ser ofendida assim”? É por que sabem que este discurso mexe com as emoções de algumas pessoa da direita. É claro que eles não acreditam que “uma senhora não pode ser ofendida”. Dilma Rousseff atuou em organizações terroristas nos anos 60-70. Você acha que ela é uma pessoa que vive pelos padrões de uma sociedade tradicional? Claro que não. Ela muito provavelmente ri quando alguém fala que “é errado falar palavrões para uma senhora”. Para ela, isso é “machismo”. Mesmo assim, muitas pessoas de direita se deixaram impressionar por este jogo.
6. RESPEITO À AUTORIDADE FINGIDO
Quem é de direita tem uma maior tendência à valorizar a autoridade formal, incluindo o respeito às leis. Claro que respeito às leis é uma coisa e desrespeito à autoridade formal é outra. O fato é que o PT, assim como no jogo anterior, quer usar essa valor da direita para beneficiar a esquerda, pois eles também não acreditam que devemos respeitar a autoridade. Todas as manifestações que eles sempre defenderam são baseadas em desrespeito extremo à autoridade. Na ótica de partidos como PT, PCdoB e PSOL, policiais e bandidos devem ser tratados no mesmo nível. Se um batalhão policial for proteger uma propriedade de invasão, ele deve dar satisfação aos invasores. É claro que o respeito à autoridade não existe para o PT. Por que eles estão fingindo “resgatar” esse valor? Pois, assim como no jogo anterior, eles sabem que podem enganar algumas das pessoas da direita com isso. Portanto, sempre que algum petista (ou aliado) disser que “não se pode vaiar uma autoridade assim”, chame-o de hipócrita, pois ele não acredita nisso. E a ofensa de Lula contra Itamar Franco, como vimos há pouco, serve como evidência de que “autoridade não pode ser ofendida” é uma expressão totalmente vazia para eles.
7. COLETIVISMOS ARTIFICIAIS (“OFENDEU A DILMA, OFENDEU AO POVO”)
Até que eles usaram pouco este jogo. Mas usaram. Aqui a ideia é dizer que “se ofendeu a Dilma, ofendeu ao povo” ou “se ofendeu a Dilma, ofendeu a todos seus eleitores”. Puro jogo sujo, pois uma coisa é a presidente Dilma Rousseff, outra coisa são seus eleitores. E, alias, muitos deles estão desanimados com ela, o que podemos ver no baixo nível de aprovação atual da presidente. Sendo assim, a tentativa dela se esconder atrás de um coletivismo artificial (“o povo pobre”, “os eleitores de Dilma”) não passa de uma técnica para levantar o moral da tropa da extrema-esquerda. Mas é só enrolation, além de uma canalhice absurda.
8. IMPUTAÇÃO DE ÓDIO NO DISCURSO DIALÉTICO DO OPONENTE
Nenhuma pessoa intelectualmente honesta chamaria um VTNC de discurso de ódio. Alias, a pesquisadora Melisa Mohr disse que “palavrões são perfeitos para manifestações e protestos”. Sabem onde ela disse isso? Na Carta Capital, revista do aparelho petista. Claro que esse tipo de ofensa geralmente explica que alguém está indignado com alguma situação, mas daí chamar essa manifestação de “discurso de ódio”? O fato é que os petistas resolveram chamar não só o VTNC contra Dilma de discurso de ódio, como fazem o mesmo diante de toda e qualquer argumentação desmascarando os jogos e truques petistas. O mais ridículo usuário deste jogo, como não poderia deixar de ser, é José Trajano. Ele disse: “Só foi dizer que o Reinaldo Azevedo é semeador do ódio que ele já fez dois posts me odiando e convocou sua trupe para me xingar nas redes”. Ou seja, você não discute mais com essa gente. Basta apresentar um argumento em contrário que eles começam com o chilique: “É discurso de ódio! É discurso de ódio!”. Mas basta ler os textos de Reinaldo Azevedo sobre Trajano para ver que o primeiro refutou dialeticamente todos os estratagemas do último, inclusive desafiando este para um debate ao vivo. Coisa que Trajano não aceitará, obviamente.
9. XINGAR SEM LIMITES
Para além de reagir chamando de “discurso de ódio” todas as refutações elegantes feitas pela direita, outro truque deles é começar a xingar sem parar. Daí vale tudo, até escrever “Se Deus quiser, seu câncer voltará, Reinaldo”, no blog de Reinaldo Azevedo. Os xingamentos são múltiplos e as ofensas também: racista, homofóbico, fascista, nazista, etc. Alguém há de perguntar: não é essa turma que reclama de um VTNC? Mas lembre-se dos jogos anteriores: ausência deliberada de senso de proporções, vitimismo artificial e duplo padrão. Para eles vale tudo: ameaçar de morte, usar violência psicológica, apoiar genocídios. Por que xingar sem limites não pode? Mas só eles podem fazer isso, pois se você os xingar de volta (principalmente em um estádio), eles dirão que você “é elite branca” e praticou “a maior vergonha que este país já viveu”.
10. SHAMING
Shaming é o truque onde alguém tenta fazer o outro se sentir culpado ou inferiorizado por algum comportamento que tenha praticado. O discurso petista é projetado para fazer qualquer um que tenha concordado com as vaias à Dilma (ou apoiado-as) se sentir culpado. Mas culpado por que? Eu apoio a vaia contra Dilma, pois tudo que ela já apoiou e praticou é fichinha perto de um VTNC. O fato é que quando estamos diante de petistas, principalmente os líderes, estamos diante de pessoas que não tem nenhum padrão moral. Eles comem xingamentos com farinha, pois vivem de praticá-los. Pior: para petistas, ofensas vem junto com ameaças de morte e técnicas de violência psicológica. Assim, quem se sentiu “envergonhado” por algum discurso petista dizendo “que feio isso que vocês fizeram com nossa presidenta [sic]“, apenas foi vítima deste jogo, amparado por vários outros vistos até aqui. Eu não me envergonho de apoiar o VTNC contra Dilma, mas me envergonharia de ser vítima de truques feitos por eles.
Enfim, nos 1o jogos e estratagemas vistos, podemos notar que a dialética a ser usada contra os petistas deve ir para outra esfera: a do desmascaramento de jogos e rotinas, e não mais a discussão do fato em questão. Se os petistas conseguirem transformar o VTNC contra Dilma no assunto principal, é por que você não desmascarou esses jogos em quantidade suficiente, ridicularizando-os por fazer isso. Até por que mesmo que eu use todos os palavrões do mundo para xingar a presidente, jamais eu vou me igualar a gente que apoia ditaduras genocidas, quer implementar o controle de mídia (ou seja, implementar uma ditadura aqui também) e usa técnicas sujas para inviabilizar o debate sobre qualquer questão. Ao nos defrontarmos com os petistas, basta saber que estamos diante de trogloditas incapazes do convívio social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário