Carregando...

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Gene Simmons, do Kiss, fala a verdade… e vai irritar muito esquerdista

BY 


1651472_gene_simmons_musica_432_57781
Segundo o site de rock Whiplash, Gene Simmons, co-fundador do Kiss, afirmou ter orgulho de estar entre a parcela de 1% mais rica da população. Segundo Simmons, todos os demais têm uma dívida de gratidão para com ele:
Ele disse ao UTSanDiego.com: “O um por cento paga oitenta por cento de todos os impostos. 50 por cento da população dos EUA não paga impostos. O um por cento provê todos os empregos para todos os demais. Se esse um por cento não existisse, haveria caos e a economia cairia morta.”
Ele ainda emendou: “Tente ser gentil com pessoas ricas. Eu não me lembro da última pessoa pobre que me deu um emprego.”
Ao descrever seus 30 anos de extrema segurança financeira como ‘fantásticos’, ele ainda acrescentou: “Sabe como eu soletro ‘descarado’? O-r-g-u-l-h-o-s-o.”
E ele explica: “As pessoas muitas vezes confundem meu orgulho e autoconfiança com arrogância. Eu sou como um animal na selva que mija no chão e não pede permissão. Isso é total revelação perante aos fatos – os outros guardam suas opiniões pra si mesmos e nunca dizem quem são. Você sempre sabe quem eu sou. Você não tem que gostar disso.”
Ele não está errado, muito pelo contrário!
Quem conhece essa banda, sabe tudo que foi enfrentado por Simmons e seu “sócio” Paul Stanley. Eles fizeram um rockinho chinfrim (mas divertido), usaram máscaras ridículas e assumiram todos os riscos. Isso desde o começo dos anos 70.
Resultado? Se tornaram uma das bandas de maior vendagem da história do rock. Se tudo desse errado, poderiam ter virado palhaços de circo. Mas o fato é que fizeram uma música e aproveitaram um momento, dando ao público o que ele queria.
Simmons e Stanley jamais dependeram de dinheiro estatal. Do nada, e sem “deter os meios de produção” criaram praticamente um império, empregando muita gente.
Eticamente, estão em posição superior a qualquer demagogo que vive querendo meter a mão no dinheiro dos outros e não fazer nada que preste.
Não que a música do Kiss seja grande coisa – é apenas minha opinião e nada contra quem goste; só que nessa linha eu prefiro WASP e Motley Crue -, mas, como já disse, geram empregos e não metem a mão no bolso dos outros.
Quase o inverso do pessoal do Partido Democrata, que vive pregando o ódio contra “os 1%”, e, em contrapartida, tem como seu meio de vida o estado inchado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário