Carregando...

terça-feira, 16 de setembro de 2014

A aceitação da pedofilia ainda será pauta na agenda nefasta dos “progressistas”, podem apostar!

Ensaio sensual da Vogue Kids com crianças
Fenômeno da modernidade: juventude cada vez mais precoce e adolescência cada vez mais longa. As crianças na mais tenra idade já são estimuladas a agir como adultos em relação à sexualidade, enquanto verdadeiros marmanjos continuam agindo feito adolescentes mimados e irresponsáveis. É algo espantoso!
Nessa sexualidade cada vez mais precoce, em tempos de relativismo moral exacerbado, constará como pauta na agenda “progressista” a relativização da pedofilia também. Não digam que enlouqueci ou sou paranoico. Na verdade, já ocorre isso, e era para estar em estágio bem mais avançado, não fosse a estratégia de cuspir na Igreja Católica acima de tudo.
Como escândalos envolvendo padres e garotos vieram à tona nas últimas décadas, a esquerda revolucionária, que subverte todos os valores morais, achou melhor recuar no tema da pedofilia, pois tinha nele uma arma poderosa para denegrir a imagem dos católicos. Tratou-se de recuo tático.
Não poderiam ao mesmo tempo propagar a ideia de que a pedofilia não é nada demais e demonizar os casos dentro da Igreja. Na dúvida, acharam melhor focar as energias contra o catolicismo. Mas agora já ensaiam novos passos na defesa – ou relativização – da pedofilia. Duvida? Então veja o que aconteceu com essa revista:
Uma liminar (decisão provisória) da Justiça determinou que a editora Globo interrompa a distribuição e retire de circulação os exemplares já distribuídos da revista “Vogue Kids”, encartada neste mês com a “Vogue”. A publicação já vinha sendo criticada por publicar fotos de meninas menores de idade em poses sensuais, vestidas de biquíni.
A decisão foi divulgada na noite desta sexta-feira (12) pelo MPT (Ministério Público do Trabalho), que havia entrado com uma ação cautelar contra a venda da revista, acatada agora pelo Juízo Auxiliar da Infância e Juventude do TRT (Tribunal Regional do Trabalho). A ação corre em segredo de justiça.
As queixas em relação ao ensaio “Sombra e Água Fresca” da revista chegaram ao Ministério Público Federal e Estadual e à Polícia Federal na quinta (11). Para o MPT, ela viola o princípio da proteção integral à criança previsto pela Constituição.
Fotos sensuais com meninas de dez anos! Que pais compactuam com isso? A revista tenta se justificar, diz que as fotos retratam as modelos infantis em um “clima descontraído”. Então é isso: vamos estimular pequenas Lolitas com o argumento de que tudo não passa de um “clima descontraído”. Afinal, ser mais recatado com crianças é coisa de “reacionário”, não é mesmo?
Em Esquerda Caviar, já havia cantado a pedra:
O jornal britânico de esquerda, The Guardian, publicou um artigo no começo de 2013 chamadoPaedophilia: bringing dark desires to light, em que até mesmo a pedofilia é tratada como algo quase normal. O jornal deu espaço para Sarah Goode, da Universidade de Winchester, expor sua opinião de que um em cada cinco adultos são capazes, em certo grau, de ser sexualmente despertados por crianças.
Não satisfeita, Goode pensa que a compreensão é o caminho para lidar com a questão, e que permitir que pedófilos sejam tratados como cidadãos ordinários, com os mesmos padrões morais dos demais, respeitando e valorizando aqueles que conseguem escolher a restrição autoimposta, só traria ganhos à sociedade.
Os resultados dessa propaganda esquerdista começam a aparecer. Um rapaz foi preso no interior de São Paulo no começo de 2013 por abusar de seus próprios sobrinhos. No depoimento, apelou para a vitimização: era “vesgo e feio”, e era muita “tentação” trabalhar com aquelas crianças. No mais, ele mesmo fora abusado na infância, segundo alegava. Logo, queria “tratamento”, em vez de prisão.
Os intelectuais de esquerda infantilizaram tanto a humanidade, com a crença de que ninguém mais é responsável pelos seus atos, que chegaram ao limite de tolerar ou mesmo até respeitar os pedófilos! São infantis “inocentes” defendendo os infantis monstruosos. Será que a revolução cultural marxista não tem mesmo limites? Até onde vai na confusão entre liberdade e libertinagem?
Todo cuidado é pouco, caros leitores, pois essa turma não vai abandonar sua revolução cultural em curso. É preciso rasgar todos os valores, toda a ética, pois somente assim aquilo que é mais podre, mais abjeto, mais nefasto poderá ser visto como absolutamente normal. Afinal, nada é normal, i.e., tudo é normal. Até mesmo os pedófilos…
Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário