Carregando...

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Como Pablo Villaça usa os mais baixos truques de seita para doutrinar jovens em petralhismo

maxresdefault
Estou assustado com a quantidade de pessoas se deixando impressionar pelos truques contidos em um post de um crítico de cinema chamado Pablo Villaça, bolivariano retinto. Essas pessoas me pedem: “Luciano, por favor refute isso”. Eis o texto.
O problema é que meu blog está repleto de refutações para quase tudo. Outros blogs como os de Felipe Moura BrasilReinaldo Azevedo e Rodrigo Constantino já tem trazido as refutações às essas mentiras. O site Aécio de Verdade também. E ainda há os posts que fiz aqui, com o título “As mentiras que Dilma Conta”. Vamos relembrá-los:
Sendo assim, para que eu deveria gastar tempo com os embustes de Pablo Villaça? Todos baseados em tudo que já foi refutado por aí.
O que eu espero é bem diferente: que vários de meus leitores já consigam demonstrar como Villaça engana seus leitores.
Se eu for perder tempo com cada repetidor de mentiras que aparecer, então esse blog perde o sentido, pois aí eu estaria gastando tempo para fazer o que já fiz antes.
O que me incomoda neste comportamento de “pedir refutação” é que Villaça usa uma série de truques de persuasão, que, combinados com uma desonestidade épica, acaba impressionando os oponentes. Quer dizer, as pessoas impressionadas não conseguem entender que estão diante de alguém que já não é capaz de viver sem enganar os outros.
Diante disso, o que podemos fazer? Explicar o modus operandi, e dizer para o máximo de pessoas o quanto possível como Villaça engana a patuleia.
O que farei aqui é fornecer um “template”, que, nos meios corporativos, significa um documento padrão, que pode ser preenchido várias vezes, com conteúdos diferentes, para obter um resultado similar. Exemplos são “termos de abertura de projeto”, “planos de projeto” e “mapas de riscos”.
Para começar, segue o “template” de Pablo Villaça para impressionar os incautos:
[Início – diga que seu texto é uma “carta aberta” a uma parcela do eleitorado. Este é o uso da técnica “distanciando a propaganda da fonte”, pois o objetivo é dar a impressão de se tratar de material de um cidadão comum, e não de alguém com uma agenda específica]
[Use senso de urgência – Diga que sua “carta” é escrita por alguém “preocupado”, pois isso serve para instar senso de urgência nos leitores, e motivar a tropa para agir]
[Use a adulação – Esta é uma técnica de culto, usada por líderes picaretas de seita, para seduzir o público. Diga algo como “Você é a mudança, a salvação, a superação”...]
[Fisgue o alvo – Após “adulado”, diga que o seu leitor alvo tem a “obrigação de concordar com você”, já que... repita a adulação]
[Invente uma racionalização qualquer para explicar por que parte de seu público alvo não esteja te seguindo – pode ser qualquer bobagem, como simulação de guerra de classes, uso de teorias da conspiração, etc.]
[Inverta valores para neutralizar problemas morais daqueles que você quer defender – isso é essencial para petistas que querem validar as corrupções de nível stalinista/chavista de seu partido]
[Agora depois destas introduções, use a técnica da metralhadora, e lance o maior número possível de mentiras em sequência, assim como distorções, de modo a dar “impressão de volume”. Quanto mais, melhor. A verdade aqui não importa mais. A quantidade sim. Quanto mais baixo for, melhor.]
[Volte para a técnica do distanciamento da propaganda da fonte, onde é importante que o leitor seja persuadido a achar que você não está seguindo agenda]
[Combine com a retórica do medo, usando recursos de ameaça – note que até aqui você está seguindo todo o catálogo da propaganda estilo bolchevique]
[Tente convencer o leitor que tudo que você faz é com a melhor das intenções]
[Use técnicas de pêndulo, dizendo “é isto ou aquilo”, em sequência]
[Nova fisgada – Retorne à adulação dizendo que com certeza seu leitor “terá o pensamento crítico” para ser convencido a aceitar todos os seus truques como verdadeiros. Não diga que é truque, evidentemente.]
[Sempre vá repetindo a propaganda partidária mais mentirosa possível. Use tudo que tiver às mãos. Sem moderação]
[Volte para a adulação mais um pouquinho. O ritmo deve ser o da lavagem cerebral]
[Conclua dizendo que você está preocupado apenas com o seu futuro e de seus filhos, ou seja, novamente "distanciando a propaganda da fonte", retornando ao uso do senso de urgência]
[Use a técnica de persuasão "Não é isto, é aquilo", dizendo "Isso não é partidarismo, é responsabilidade". Propagandisnha básica]
[Ah, por fim cite as fontes para tudo que você disser, mesmo que sejam fontes suspeitas, como da BLOSTA]
Agora, você já pode explicar para todos os leitores de Pablo Villaça que eles foram enganados com um truque de seita, e explique para as pessoas que estão ao seu lado o quão baixo essa gente é capaz de descer para ajudar seus tiranetes preferidos. É sempre assim, seja aqui, na Venezuela ou na China.
Diga que este é o tipo de gente que o PT atrai: pessoas imorais o suficiente para tratar seus leitores como gado, desrespeitando-os assim como Jim Jones fazia com seus seguidores. É de uma covardia intelectual sem limites. A perfídia é inacreditável. Ou que tipo de gente você acha que fez propaganda para todos os genocídios praticados pelos socialistas no século XX? É com esse tipo de mente que estamos lidando.
Por fim, faça uma listinha das refutações à todas as mentiras, que você terá sido eficiente, pois ao mesmo tempo em que mostra Villaça como um enganador (que trata seus leitores como pascácios e néscios de carteirinha), também refuta todas as suas mentiras.
Conteúdo para refutar todas as mentiras você já tem. E ainda tem o template para explicar como esse tipo de mente perversa age.
Fonte: http://lucianoayan.com/2014/10/16/como-pablo-villaca-usa-os-mais-baixos-truques-de-seita-para-doutrinar-jovens-em-petralhismo/

Nenhum comentário:

Postar um comentário