Carregando...

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

“O grande mal do Brasil hoje é o PT”, diz Bolsonaro

Jair Bolsonaro. Fonte: GLOBO
Ele teve quase 500 mil votos no Rio, sendo o deputado federal mais votado no Estado. É odiado pelos “progressistas” e comunistas, o que sempre conta pontos a seu favor. Adotou um discurso radical de direita no passado, mas tem cada vez mais demonstrado que não é o “bicho papão” que a esquerda pinta dele. Muitos o detestam sem sequer escutá-lo, pois já aderiram ao estereótipo criado pela militância socialista, o que é puro preconceito (que tanto dizem combater).
Falo, claro, de Jair Bolsonaro, o único que tem a coragem de apontar o dedo na cara do criminoso José Dirceu e chamá-lo de “terrorista” – quando este ainda era poderoso e admirado (pelos cegos e canalhas). Tenho minhas divergências com Bolsonaro, mas não posso negar sua coragem na defesa do que acredita, e o fato de que representa o exército de um homem só contra a corja vermelha no poder.
Em entrevista ao GLOBO, Bolsonaro declarou seu voto em Aécio Neves, e disse sem rodeio que o grande mal do Brasil hoje é o PT. Como discordar? Vejam:
Neste segundo turno da corrida pelo Planalto, qual o seu posicionamento?
Mesmo que ele não queira, voto no Aécio Neves (PSDB). O grande mal do Brasil hoje é o PT. Se Dilma conseguir a reeleição, não fugiremos de uma ida para Cuba sem escala na Venezuela. É um governo que se preocupa em caluniar as Forças Armadas 24 horas por dia.
O senhor já se posicionou contra a Comissão da Verdade. O que espera do relatório dos membros que a compõem?
Está na cara como será o relatório final da Comissão da Verdade. Não estou chamando ninguém de cafetina ou prostituta. É uma hipérbole. Mas imagina uma cafetina que resolve fazer sua biografia. Escolhe sete prostitutas para realizá-la. No final, a conclusão das prostitutas é de que a cafetina deveria ser canonizada. Essa é a Comissão da Verdade da Dilma.
Uma das polêmicas em torno do senhor é a questão da população LGBT.O que defenderá na próxima legislatura?
Se homofobia for definida como o respeito à família e querer que uma criança siga o destino dado a ela quando nasce, então sou homofóbico. Mas minha briga não é contra os homossexuais. Minha bronca sempre foi e será contra o material escolar (numa referência ao Plano Nacional de Cidadania e Direitos Humanos LGBT, que chama de “kit-gay”). Acho impossível uma pessoa não ter um parente ou amigo gay. A grande maioria cuida da vida dela. Uma minoria quer tratar desse assunto em público. Nunca preguei dar porrada em homossexual. Mas defendo a família.
Parece o monstro criado pela máquina de destruição de reputações do PT, ou uma pessoa firme na defesa de certos valores importantes? Luciana Genro e Marcelo Freixo estão com Dilma, e isso mostra como o PT realmente flerta com o socialismo. Bolsonaro está com Aécio, mostrando como todos aqueles que rejeitam o modelo cubano deveriam digitar 45 no próximo dia 26.
Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário