Carregando...

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Os mantras da imprensa brasileira e a esquizofrenia esquerdista

A abordagem da imprensa brasileira sobre o islamismo como a "religião da paz" se assemelha ao caso de vandalismo dos Black blocs ou do Movimento Passe Livre, em 2013. Sempre as Tvs, de forma hipnótica, repetiam ad nauseam que as manifestações eram "pacíficas", ainda que ocorressem quebradeiras a granel. Houve até algo engraçado, como o caso de uma jornalista falar que as "manifestações foram pacíficas", apesar dos atos de violência. A imprensa brasileira está virando uma piada. Ou melhor, a imprensa ocidental é indigna de crédito, com honrosas exceções. Sustentam uma verdadeira falsificação da realidade, enquanto transformam o ocidente inteiro refém de uma grande mentira. Enquanto isso, centenas de milhares de cristãos são chacinados nos países islâmicos e comunistas e não há uma nota de jornal. Pelo contrário, “fanáticos”, “fascistas”, “intolerantes” e “islamofóbicos” são os católicos e protestantes que não fazem nada e são humilhados por ativistas feministas, secularistas e gayzistas radicais nas próprias democracias ocidentais. 



Milhares de mulheres européias são violentadas por imigrantes muçulmanos, bairros inteiros da França, da Inglaterra, da Suécia e da Alemanha são verdadeiros guetos islamizados onde os não-islâmicos perderam a liberdade de ir e vir, sob pena de morte ou espancamento e o resto é cumplicidade dos jornalistas. Os islâmicos odeiam a democracia, querem destruir países que os receberam de braços abertos e ainda o cidadão europeu médio é acusado de "preconceituoso" por não ser violentado em silêncio? A opinião pública liberal e socialista está caladinha, colaborando com a destruição da Europa. 



A imprensa, os esquerdistas, os cartunistas vêem mais perigo na "extrema-direita" francesa ou alemã do que em islâmicos que fuzilaram os seus pares do Charlie Hebdo. Claro, se o cidadão médio europeu denunciar o extremismo do Islam, ele já estará catalogado no círculo dos "extremistas". Já os verdadeiros extremistas islâmicos do outro lado sempre serão "pacifistas', "paz e amor"! Ou então podemos observar o deputado LGBT Jean Wyllys mais preocupado com o "fundamentalismo cristão", enquanto assina projetos de lei de ensino islâmico nas escolas brasileiras. Isso sim é doença mental e patológica. 


O ocidente está virado de cabeça pra baixo! 

Fonte: http://cavaleiroconde.blogspot.com/2015/01/os-mantras-da-imprensa-brasileira-e_10.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário