Carregando...

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Você já ouviu falar no pastor Diótrefes? Será que ele pastoreia a sua igreja?


Por Gutierres Fernandes Siqueira

Uma leitura descuidada da Bíblia não permite observar e estudar um pastor chamado Diótrefes. Será que ele não anda pastoreando sua congregação? Diz 3 João nos versículos 9 e 10:  

Escrevi à igreja, mas Diótrefes, que gosta muito de ser o mais importante entre eles, não nos recebe. Portanto, se eu for, chamarei a atenção dele para o que está fazendo com suas palavras maldosas contra nós. Não satisfeito com isso, ele se recusa a receber os irmãos, impede os que desejam recebê-los e os expulsa da igreja.

Isso mesmo. O apóstolo João denuncia um pastor chamado Diótrefes. Um sujeito orgulhoso, com mania de grandeza e autoritário. Ele apreciava “ser o primeiro”, o "primaz".  Além disso, tinha mania de levantar calúnias contra outros pastores. No original grego indica que Diótrefes falava com fluência, mas o conteúdo era vazio. Não hospedava nenhum evangelista e, também, agia por conta própria- sem um supervisor a quem poderia prestar contas. Era egoísta e mesquinho. E o pior: proibia a comunhão de sua congregação com outros irmãos e evangelistas. Diótrefes simplesmente exercia a excomunhão para quem desobedecesse. Pelo nome que significa “filho de Zeus” se especula que ele fosse de uma família aristocrática. Assim, será que Diótrefes queria levar os costumes familiares para a Igreja do Senhor?

Quais são as lições desse episódio?

1. A sede de poder é um mal humano e presente em todas as eras. Como John Stott lembra, o problema de Diótrefes não era doutrinário, mas sim uma ambição pessoal. Não é de hoje que alguns homens veem a obra de Deus como um passatempo pessoal e trampolim para o poder. Esse mal já afetava a igreja dita primitiva. Muitas vezes o poder é mais sedutor do que o dinheiro. O inescrupuloso deputado Frank Underwood, personagem fictício da série House of Cards, já dizia: "Dinheiro é mansão no bairro errado, que começa a desmoronar após dez anos. Poder é o velho edifício de pedra, que se mantém de pé por séculos. Não respeito quem não sabe distinguir os dois."

2. A liderança doente sempre está em busca do primado. É conhecida a assertiva de Jesus: “Quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo de todos” [Marcos 10.44]. É conhecida, mas pouquíssima praticada. Diótrefes corria para ser o primeiro, o mais importante, o maior entre todos eles. Quantas vezes você já ouviu “essa igreja nasceu no meu ministério” ou “Deus me levantou para uma grande obra e, por isso, aí daqueles que contestarem”?

3. Um mal líder é autocentrado. Sempre procura desqualificar outros líderes. Vive para si. Não tem supervisão. Não se submete a ninguém. Ele sempre decide, não divide. Sempre tem a primeira e a última palavra. É um pequeno deus.

4. O líder desqualificado é autoritário.  A Bíblia não dá espaço para excomungar alguém por discordar da liderança naquilo que lhe é própria. Diótrefes, como autoritário e autocentrado, excomungava quem cometia o grave pecado de comunicar e comungar com outros evangelistas.

Conclusão: um líder assim não pode ser protegido. Logo, como João fez, gente assim precisa ser repreendida publicamente.

Fonte: http://www.teologiapentecostal.com/2014/02/voce-ja-ouviu-falar-no-pastor-diotrefes.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário