Carregando...

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O PT é o mais corrupto sim! E ainda é conivente com seus criminosos!

A militância petista tem espalhado por aí que “todos são farinha do mesmo saco”, que o eleitor deveria deixar de lado a questão da corrupção, pois ninguém é santo. Trata-se de uma tática usada por aqueles que pretendem defender o que há de pior na política. Que todos os partidos têm escândalos, isso é fato; que por isso são todos iguais, isso é uma enorme mentira!
Para começo de conversa, temos a questão da magnitude dos escândalos. Nunca antes na história deste país se viu tanta porcaria vindo à tona, tanta roubalheira emergindo dos pântanos de Brasília. É um esquema atrás do outro, fazendo bilhão parecer troco e criando uma sensação de banalização da corrupção: o público sequer consegue memorizar tantos casos.
Mas além disso, temos a questão da postura do PT diante dos casos que pipocam graças à imprensa. A reação do partido é acusar a própria imprensa, o Judiciário, e defender seus criminosos como se fossem “heróis” injustiçados. Nenhum outro partido adota a mesma postura de conivência oficial e aberta com os corruptos.
Em sua coluna de hoje no GLOBO, ícone dessa “imprensa golpista” pela lógica petista, Francisco Bosco fala sobre os “mitos das eleições”, citando esquerdistas como Marilena Chaui, aquela que odeia a classe média “fascista”, e Maria Rita Kehl. Lá pelas tantas, ele repete essa falácia, achando que derrubou um “mito”:
“O PT é o partido mais corrupto” — Já li diferentes pesquisas contestando essa afirmação, e nenhuma a comprovando. O PT não é o partido que tem mais fichas-sujas, e não é aquele cujos malfeitos mais lesaram, financeiramente, os cofres públicos. A corrupção é, claro, um mal que deve ser punido com rigor, mas se deve antes à estrutura do sistema político brasileiro (para não falar da estrutura moral profunda da nossa sociedade, onde o laço social é perverso, como diz Maria Rita Kehl). A propósito, algumas das acusações mais comuns contra o PT deveriam ser dirigidas ao sistema político brasileiro, e àqueles que elegem seus representantes. Como exigir, por exemplo, um governo totalmente progressista se ele depende de maioria em casas legislativas largamente conservadoras ou mesmo reacionárias?
Eis a típica ladainha de quem pretende apenas defender a escória. Notem que Bosco relativiza os “malfeitos” do PT como se fossem culpa do “sistema”. Notem, ainda, que ele afirma que os desvios do partido não foram os que mais lesaram os cofres públicos, o que é simplesmente mentira. Desafio o autor a apontar quais foram, então, os “malfeitos” que mais lesaram os cofres públicos, se somente o esquema da quadrilha na Petrobras lesou em mais de R$ 10 bilhões o erário.
Por fim, o grande cara de pau socialista ainda coloca a culpa dos “malfeitos” nos conservadores do Congresso, ou mesmo os “reacionários”. Entenderam? O PT rouba porque tem Jair Bolsonaro e Feliciano no Congresso. José Dirceu está preso porque Brasília não é formada apenas por gente como Jean Wyllys. Eis a mentalidade de um típico socialista. É um espanto!
Para refrescar a memória do Bosco e de tantos que repetem por aí que o PT não é o mais corrupto, segue uma lista de alguns dos escândalos dos últimos anos (o leitor pode buscar cada um deles no Google para maiores informações):
Caso Pinheiro Landim
Caso Celso Daniel (ainda o mais bizarro de todos, com várias mortes aparentemente ligadas ao episódio)
Caso Toninho do PT
Escândalo do Propinoduto (também conhecido como Caso Rodrigo Silveirinha)
Irregularidades do Fome Zero
Escândalo do DNIT (envolvendo os ministros Anderson Adauto e Sérgio Pimentel)
Escândalo do Ministério do Trabalho
Caso Agnelo Queiroz (O ministro recebeu diárias do COB para os Jogos Panamericanos)
Escândalo do Ministério dos Esportes (Uso da estrutura do ministério para organizar a festa de aniversário do ministro Agnelo Queizoz)
Operação Anaconda
Escândalo dos Gafanhotos (ou Máfia dos Gafanhotos)
Caso José Eduardo Dutra
Escândalo dos Frangos (em Roraima)
Várias Aberturas de Licitações da Presidência da República Para a Compra de Artigos de Luxo
Escândalo da Norospar (Associação Beneficente de Saúde do Noroeste do Paraná)
Escândalo dos Bingos (Primeira grande crise do governo Lula, ou Caso Waldomiro Diniz)
Escândalo da ONG Ágora
Caso Luiz Augusto Candiota (Diretor de Política Monetária do BC, é acusado de movimentar as contas no exterior e demitido por não explicar a movimentação)
Caso Cássio Caseb (Banco do Brasil)
Escândalo dos Vampiros
Escândalo dos Correios (Segunda grave crise política do governo Lula. Também conhecido como Caso Maurício Marinho)
Escândalo do IRB
Escândalo da Novadata
Escândalo da Usina de Itaipu
Escândalo das Furnas
Escândalo do Mensalão (Terceira e mais grave crise política do governo)
Escândalo do Leão & Leão (República de Ribeirão Preto ou Máfia do Lixo ou Caso Leão & Leão)
Escândalo da Secom
Esquema de Corrupção no Diretório Nacional do PT
Escândalo do Valerioduto
Escândalo do Brasil Telecom (também conhecido como Escândalo do Portugal Telecom ou Escândalo da Itália Telecom)
Escândalo da CPEM
Escândalo da SEBRAE (ou Caso Paulo Okamotto)
Escândalo dos Dólares na Cueca
Escândalo do Banco Santos
Escândalo Daniel Dantas – Grupo Opportunity (ou Caso Daniel Dantas)
Escândalo da Interbrazil
Caso Toninho da Barcelona
Escândalo da Gamecorp-Telemar (ou Caso Lulinha)
Caso dos Dólares de Cuba
Escândalo da Nossa Caixa
Escândalo da Quebra do Sigilo Bancário do Caseiro Francenildo (Quarta grave crise política do governo Lula. Também conhecido como Caso Francenildo Santos Costa)
Escândalo do Banco BMG (Empréstimos para aposentados)
Escândalo dos Fundos de Pensão
Escândalo dos Grampos na Abin
Escândalo do Foro de São Paulo
Esquema do Plano Safra Legal (Máfia dos Cupins)
Escândalo do Mensalinho
Escândalo das Vendas de Madeira da Amazônia (ou Escândalo Ministério do Meio Ambiente).
Escândalo de Corrupção dos Ministros no Governo Lula
Escândalo das Sanguessugas (Quinta grave crise política do governo Lula. Inicialmente conhecida como Operação Sanguessuga e Escândalo das Ambulâncias)
Escândalo dos Gastos de Combustíveis dos Deputados
Escândalo da Suposta Ligação do PT com o PCC
Escândalo do Dossiê (Sexta grave crise política do governo Lula)
ONG Unitrabalho
Caso Renan Calheiros
Escândalo do Corinthians (ou caso MSI)
Escândalo dos cartões corporativos
Caso Erenice Guerra
Caso Rosemary Noronha (Um dos casos mais graves do governo Lula e ainda sem a devida investigação)
Operação Lava-Jato (Maior escândalo do governo Dilma, desvendando uma quadrilha montada dentro da Petrobras para desviar bilhões de reais)
Essa é uma lista resumida. Como podemos ver, o governo do PT foi bastante produtivo “no que se refere” a escândalos de corrupção. É um atrás do outro. E quando a imprensa e o Ministério Público estão investigando um, já vem outro novo e o antigo cai em esquecimento. Ninguém tem memória tão boa a ponto de decorar cada caso desses.
Em poucos meses de governo Dilma, nada menos do que seis ministros caíram envolvidos em escândalos. Mas para Bosco e companhia, apenas alguns “malfeitos”, como todos os outros praticam, e tudo culpa do “sistema” e dos conservadores no Congresso. É realmente um espanto!
Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário