Carregando...

XAPURI AMAX

sexta-feira, 22 de maio de 2015

"No Brasil há pena de morte somente para as pessoas de bem, executada pelos bandidos". Campanha do desarmamento só desarma os cidadãos de bem, os criminosos (praticam crimes e não respeitam leis) sempre usarão armas ilegalmente - é difícil entender essa lógica???


Relançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida no Senado Federal

Julio Severo
Será relançada hoje, no Senado Federal, a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida, sob a presidência do senador Magno Malta.
Essa frente nasceu no ano de 2007 e foi fundada pelos então deputados federais Robson Rodovalho, Henrique Afonso, Padre Linhares e Miguel Martini. Era uma Frente que unira católicos e evangélicos na defesa da família e da vida humana.
Na época, essa frente mantinha a Jornada Nacional Evangélica em Defesa da Vida e da Família, que durante o ano de 2007 fez várias viagens pelo Brasil, incentivando lideranças evangélicas a se engajar na luta contra o aborto, a homossexualidade e outras agendas anti-família.
Faziam parte oficial como palestrantes da jornada Henrique Afonso, Bispo Manoel Ferreira, Dra. Damares Alves, Dra. Rozangela Justino e Julio Severo. Em 2008 o então Dep. Henrique Afonso lançou, como parte dessa iniciativa, o livro “Em Defesa da Vida e da Família,” com cada capítulo escrito por um dos palestrantes da Jornada, inclusive o Dr. Zenóbio Fonseca.
Embora interesses políticos tenham frequentemente permeado essa importante iniciativa, não faltou oportunidade, por menor que fosse, para alertar o público interessado, seja em assembleias legislativas ou estádios.
A Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida, sob a liderança de Magno Malta, se propõe a dar continuidade a esse trabalho desenvolvido desde 2007 e muito mais.
Cumprindo exigências internas do Congresso Nacional a cada ano, as frentes parlamentares precisam ser novamente registradas em virtude da mudança de parlamentares.
O relançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida conta como membros 216 deputados e senadores.
No evento de hoje serão anunciadas importantes campanhas em defesa da infância, de combate ao uso de drogas, contra a legalização do aborto, pelo fim da violência doméstica, abandono de idosos e pela adoção.
O relançamento será feito com uma grande festa, com a presença já confirmada de artistas, atletas, líderes religiosos, instituições que militam na defesa da vida e da família, parlamentares, prefeitos, vereadores, representantes de governos, entre outros. Entre os que já confirmaram participação estão: 
Cantor Zezé di Camargo (Da dupla Zezé di Camargo e Luciano)
Dupla sertaneja César Menotti e Fabiano
Cantora gospel Lauriete
Cantor gospel Thalles Roberto
Cantor Luiz Carlos (Banda Raça Negra)
Cantor Geovanni (Dupla Gean e Geovanni)
Cantor Frank Aguiar
Cantor Kiko (Banda  KLB)
Representantes da CNBB
Associação Nacional Pró Vida e Pró Família
Pastor Silas Malafaia
Psicóloga Marisa Lobo
Pastor José Wellington
Pastor Abner Ferreira
Wallid Ismail (Jungle Figth)
Apostolo César Augusto
Movimento Brasil Sem Drogas
Movimento Brasil Sem Aborto
Instituição ATINI – Voz pela Vida
Instituto Flores de Aço
Vereadores
Prefeitos
Representantes de Embaixadas
Com informações da Dra. Damares Alves.

CRISTOFOBIA???






segunda-feira, 18 de maio de 2015

52 segundos para transformar o ECA num dos maiores crimes morais da história da humanidade

ECA
O vídeo que vocês verão ao final deste post mostra a agressão de um menor de idade contra outro, aparentemente despreparado para luta. O detalhe é que este outro menor foi agredido pelas costas, e depois ainda tomou um chute no rosto, manifestando convulsões em seguida.
A matéria do R7 diz o seguinte:
A agressão foi filmada. Na porta de uma escola de Sabará (MG), um aluno dá um chute por trás no colega. O menino agredido não reage, mas leva outro chute, dessa vez mais forte e na cabeça. A vítima cai no chão e sofre convulsões. Segundo testemunhas, a agressão foi motivada por uma brincadeira no dia anterior. O estudante ferido segue internado. Já o agressor mudará de escola.
Espere aí. Depois desta agressão o bandido apenas “mudará de escola”? Não será nem sequer “internado para medidas sócio-educativas”? Então não precisamos sequer olhar mais para a cara de defensor do ECA com qualquer tipo de respeito. Se essa legislação podre permite este tipo de impunidade, então não temos outra forma de rotular o ECA senão como um dos maiores crimes morais da história da humanidade.
Veja o vídeo:
Fonte: http://lucianoayan.com/2015/05/17/52-segundos-para-transformar-o-eca-num-dos-maiores-crimes-morais-da-historia-da-humanidade/

O que ganham os esquerdistas ao dar aos menores licença para matar, sequestrar e estuprar?

 

tumblr_lzvn5isvrl1qfg4oyo1_r1_500
Algumas propostas esquerdistas, como desarmamento e principalmente a licença de menores para matar, possuem um cui bono que muitos não percebem: elas afrontam a dignidade humana ao máximo. Leis deste tipo rebaixam os seres humanos por afrontá-los e tirar-lhes a dignidade. Isto provoca em uma grande parte deles um ceticismo misturado com derrotismo diante do estado.
Hoje em dia a Primae Noctis (o direito da Primeira Noite) que permitia que um senhor feudal deflorasse qualquer mulher em sua noite de núpcias, antes do noivo, é uma tese contestada. Há quem diga que existia um exagero e que tal lei jamais foi aplicada. Mas algo similar ocorre em países socialistas, como por exemplo em Cuba, onde muitas mulheres de formação universitária precisam se prostituir para os soldados e para a corte dos irmãos Castro (que são os que realmente tem dinheiro), e na Coreia do Norte, onde Kim Jong-un vai montar seu harém.
Qual o objetivo de eles fazerem isso? A resposta está no fato de que retirar a dignidade de um povo é o primeiro caminho para desanimá-lo a lutar contra as tiranias. A melhor forma de fazer isso é humilhar ao máximo o seu povo.
Mas será que a extrema esquerda gasta tanto esforço querendo manter os menores impunes pelo mesmo princípio? De início, posso dizer que a minha tese é realmente afrontosa, e, exatamente por isso, devo sustentar minha posição com argumentos.
Primeiramente, precisamos entender que o socialismo é uma tecnologia para obtenção de poder totalitário para seus líderes. Nada mais que isso. Com isto em mente, devemos começar a entender todas as ações socialistas de acordo com esta tecnologia.
Por olharmos o socialismo desta forma mais realista, conseguimos saber por que eles priorizam tanto: (1) financiamento público de campanha, (2) unificação de polícias, (3) censura de mídia, (4) uso de coletivos não eleitos e outros.
O financiamento exclusivamente público de campanha é uma forma de o partido dono do poder se manter mais tempo por lá, pois cria-se uma regulação para os financiamentos de campanha, ao mesmo tempo em que nada é feito para limitar a publicidade institucional, o uso da Lei Rouanet e quaisquer outras formas que os governos usam para fazer propaganda do partido que está no poder. A unificação das polícias é uma meta de longo prazo, apenas para facilitar a liquidação dos adversários dos tiranos. A censura de mídia é uma forma de controlar as mentes das pessoas, e manter o poder mesmo com a devastação econômica de um país (basta dizer que a culpa “está nos fascistas norte-americanos, e portanto os líderes atuais são deuses da boa vontade, ajoelhem-se para eles”) e o uso de coletivos não eleitos é uma forma de violar a soberania do voto, estabelecendo uma ditadura de fato.
Como se percebe, não há ação priorizada por um governo socialista, ao menos em um momento de crise, que não esteja associada ao objetivo principal da tecnologia socialista: “dar poder totalitário aos seus líderes ou ajudá-los a manter esse poder”.
Pois eis que neste cenário a extrema esquerda abraça de forma desesperada a causa da manutenção da licença para matar, estuprar e sequestrar aos menores de idade. Uma das leis mais abomináveis da história da humanidade, o ECA, está sendo contestada e pode ser alterada. Os menores que hoje morrem de rir enquanto são “apreendidos” poderão, se tiverem entre 16 e 18 anos, serem punidos ao cometerem crimes hediondos. Essa mera possibilidade vem insuflando multidões de esquerdistas a lutarem até o fim de suas forças para continuar permitindo a impunidade total de menores.
Decerto que um dos lemas do socialismo é instaurar caos social para que o povo aceite mais fácil a tirania. A lei do desarmamento e o ECA seriam úteis neste sentido. Mas isto ainda não justifica a quantidade absurda de esforço gasto pela extrema esquerda na manutenção, em especial, da licença dada a menores para a prática de crimes hediondos.
O fato é que a extrema esquerda sabe que a derrubada dessa lei terá um efeito fundamental na recuperação da dignidade das pessoas. A mera possibilidade de alguém não ter mais o direito de fazer o que quiser com suas vítimas, impunemente ajudará a reduzir sentimentos muito pervasivos em nossa sociedade, como “ah, é assim mesmo, a coisa nunca muda” ou “ah, quem comete o crime tem privilégios”. Os socialistas precisam do máximo de pessoas, especialmente daqueles que não fazem parte de sua militância, vivendo de cabeça baixa, como se fossem vitimados por uma lei como a Primae Noctis.
No momento em que você vir um esquerdista lutando desesperado contra a mudança no ECA, basta visualizá-lo como alguém lutando para manter uma lei que tira a dignidade do povo. Com o fim da licença de menores para matar, estuprar, esquartejar e violar suas vítimas, o povo não apenas recuperará parte de sua dignidade, como também começará a falar em algo mais próximo à Justiça. E para tiranos, isso incomoda muito.
Fonte: http://lucianoayan.com/2015/05/16/o-que-ganham-os-esquerdistas-ao-dar-aos-menores-licenca-para-matar-sequestrar-e-estuprar/

Testemunho Evangélico Fundamental contra o Socialismo, Parte 1

Julio Severo
“Fundamentalismo” hoje é uma palavra suja, e a razão é o ódio socialista contra os cristãos conservadores.
O termo original “fundamentalismo” era usado em referência a evangélicos que desenvolveram e seguiram “Os Fundamentos,” um enorme livro teológico, editado por R. A. Torrey e publicado entre 1910 e 1915, para confrontar o liberalismo, o ecumenismo, o catolicismo, o socialismo e heresias entre igrejas protestantes no início do século XX.
Pelo fato de que os socialistas não gostaram de “Os Fundamentos” e suas posturas cristãs conservadoras, eles trabalharam durante muitas décadas para transformar “fundamentalismo” numa palavra suja. Eles tiveram sucesso.
“Os Fundamentos” revela que, mesmo antes do nascimento da União Soviética, o socialismo era uma influência forte na sociedade e igrejas dos EUA.
O capítulo sobre socialismo em “Os Fundamentos” foi escrito pelo Rev. Charles R. Erdman (1866-1960), professor no Seminário Teológico Princeton. Erdman era um pastor presbiteriano, e ele não conseguiria ter visualizado seu seminário enviando socialistas para formar socialistas em outras nações.
Em 1952, o missionário presbiteriano ecumênico Richard Shaull (1919-2002) foi enviado ao Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas, onde ele deu aulas até 1959. Shaull era doutor em teologia pelo Seminário Teológico de Princeton. O nascimento da Teologia da Missão Integral (TMI) no Brasil tem origem nele.
Ainda que a TMI seja rotulada de versão protestante da Teologia da Libertação, a TMI nasceu antes da Teologia da Libertação. Para mais informações, baixe meu e-book gratuito aqui: http://bit.ly/11zFSqq
A TMI é o liberalismo teológico mais difundido nas igrejas protestantes da América Latina, principalmente no Brasil, em nossa época.
O testemunho evangélico fundamental do Rev. Charles R. Erdman contra o socialismo 100 anos atrás denuncia as incursões poderosas do socialismo na sociedade e igrejas dos EUA quando não existia nenhuma União Soviética e KGB. Estou publicando o testemunho dele para ajudar os evangélicos do Brasil a evitar a TMI e suas armadilhas socialistas.
A denúncia dele contra o socialismo será publicada por mim em 4 partes, e está é a primeira:

A Igreja e o Socialismo

Prof. Charles R. Erdman, D. D., Seminário Teológico Princeton
A ascensão súbita do socialismo é o movimento mais surpreendente e importante de nossa época. Poucos anos atrás o termo sugeria um sonho de fanáticos. Hoje, esse termo personifica o credo e a esperança de milhões de pessoas inteligentes. Por exemplo, nos Estados Unidos 20.000 eleitores votaram em socialistas em 1892. Em 1912, o número de americanos que votaram em socialistas foi 900.000. Na França, o número de eleitores socialistas foi 1.104.000, e na Alemanha mais de 3.000.000. E nesses e outros países multidões que não estão abertamente alinhadas com o socialismo político estão imbuídas de princípios socialistas e são defensoras de teorias socialistas.
A Igreja Cristã está profundamente preocupada com esse grande movimento. Primeiro, por causa do esforço que muitos nos EUA estão fazendo para identificar o socialismo com o Cristianismo. Segundo, porque, no outro extremo, o socialismo popular vem sendo sugerido como substituto para o Cristianismo e é antagônico ao Cristianismo. E terceiro, pelo fato de que a força do socialismo consiste em grande parte de seu protesto contra os males sociais existentes, males semelhantemente opostos pela Igreja Evangélica, mas que só podem ser corrigidos de forma definitiva pelo governo universal de Cristo.
1. O socialismo, em sua definição estrita, é uma teoria econômica que propõe a abolição do capital privado e a substituição da propriedade coletiva para avançar o trabalho industrial do mundo. Essa propriedade coletiva deve ser estendida a todos os instrumentos materiais de produção. Esses instrumentos devem ser dirigidos pelo povo, e os produtos devem ser distribuídos de forma igual. O governo deve ficar totalmente nas mãos do povo, e deve designar a cada indivíduo sua tarefa e decidir seu salário. Cada cidadão deve ser na realidade um empregado do governo.
É evidente que se deve distinguir o socialismo do comunismo com o qual é muitas vezes confundido. O comunismo defende a propriedade coletiva de todas as riquezas. O socialismo não nega o direito da propriedade privada, mas do capital privado. Num país socialista alguém pode possuir uma casa, mas não pode alugá-la para aumentar sua renda. Ele pode possuir um iate, mas não pode usá-lo para transportar passageiros por dinheiro. Sob o comunismo, não haveria nenhuma propriedade privada, e seria literalmente verdade que “nenhum homem poderia chamar nada que ele possuísse como seu.”
O socialismo tem diferenças ainda mais evidentes com o anarquismo. O anarquismo busca abolir todo o governo. Mas os socialistas defendem a extensão das funções do governo para regular a vida e o trabalho de todos os indivíduos nos mínimos detalhes. A anarquia significa nenhum governo. O socialismo propõe mais governo do que qualquer nação já viu.
Obviamente, o socialismo jamais deveria ser confundido com a forma extrema de anarquia conhecida como niilismo. O niilismo defende a abolição violenta de todas as instituições sociais e políticas existentes. É verdade que os socialistas muitas vezes propõem revolução e violência, mas um número cada vez maior de socialistas acredita que seus objetivos serão alcançados por meio de um processo gradual de evolução social avançando para a meta de uma propriedade coletiva do capital. Não é certo, pois, identificar o socialismo com assassinatos, ilegalidades e revoltas.
Continua na parte 2.
Traduzido por Julio Severo do livro original em inglês “The Fundamentals” publicado nos EUA em 1910.
Leitura recomendada:

O Departamento de Estado dos EUA Convida Líderes Muçulmanos, Mas Não Cristãos

Raymond Ibrahim

Nas altas horas da noite de 8 de maio, a Newsmax TV anunciou que devido à pressão de americanos familiarizados com a negativa da emissão de visto para a Irmã Diana Momeka, o Departamento de Estado revisou a decisão e permitiu sua entrada nos Estados Unidos. Mas até então, ela e outros foram impedidos de entrar nos Estados Unidos
Diana Momeka e Jonah David Jang, líderes cristãos que, por falarem contra a perseguição aos cristãos, foram negados vistos para entrar nos EUA
Após convidarem inúmeros líderes religiosos estrangeiros, em sua maioria muçulmanos, o Departamento de Estado dos EUA, pela segunda vez seguida, negou o visto à única representante cristã, apesar do fato (ou talvez por conta dele) de serem os cristãos os perseguidos pelos muçulmanos.
Irmã Diana, influente líder cristã iraquiana além de porta-voz, que já tinha sido agendada para visitar os EUA para se manifestar em favor dos cristãos perseguidos no Oriente Médio, teve seu visto negado no início do mês pelo Departamento de Estado, muito embora ela já tivesse visitado antes os Estados Unidos, a última vez em 2012.
Irmã Diana fazia parte de uma delegação de líderes religiosos do Iraque, entre eles xiitas e yazidis, a visitar Washington, D.C., para relatar a situação de seu povo. A todos os líderes religiosos da delegação foram concedidos vistos, menos para a representante cristã, Irmã Diana.
Na mesma linha, em março de 2014, após o United States Institute for Peace (Instituto em Prol da Paz dos Estados Unidos, USIP) ter patrocinado um encontro dos governadores dos estados do norte da Nigéria, em sua maioria muçulmanos, a uma conferência nos EUA, o Departamento de Estado também negou o visto para o único governador cristão da região, o pregador Jonah David Jang, alegando problemas administrativos. O USIP confirmou que todos os 19 governadores da região norte foram convidados, mas a organização não respondeu às indagações sobre o porquê deles manterem as conversações sem a presença do único governador cristão.
Segundo Emmanuel Ogebe, um advogado nigeriano que cuida dos direitos humanos, sediado em Washington D.C., os "problemas com o visto" do governador cristão se resumem ao preconceito anticristão do governo dos EUA:
Os Estados Unidos insistem que os muçulmanos são as principais vítimas do Boko Haram. Eles também alegam que os cristãos discriminam os muçulmanos no Plateau, que vem a ser um dos poucos estados de maioria cristã na região norte. Depois que o (governador cristão) disse a eles (autoridades americanas) que estavam ignorando os 12 estados que utilizavam a lei da Sharia que (sic) institucionalizaram a perseguição, ele, repentinamente apresentou problemas com o visto. ... A pergunta que fica é: por que os EUA estão minimizando ou negando os ataques contra os cristãos?
Em relação à Irmã Diana, ativistas resolutos dos direitos humanos e cristãos nos EUA, intercederam junto ao Departamento de Estado para que revertesse a sua decisão. De acordo com Johnnie Moore, ativista que se encontrou com ela no Iraque: "A irmã Momeka é uma dádiva para o mundo e uma trabalhadora de ajuda humanitária que me lembrou, quando a encontrei no Iraque da Madre Teresa. Não dá para entender porque o Departamento de Estado não convida Momeka a uma visita oficial aos Estados Unidos, em vez de impedir sua entrada".
Chris Seiple, Presidente do Institute for Global Engagement, escreveu o seguinte em um post "na mesma semana em que o Departamento de Estado afirma que irá levar a sério o compromisso com os líderes religiosos (conforme anunciado há dois dias em sua avaliação quadrienal), ele nega o visto a uma freira cristã perseguida, que fugiu do EIIS, Irmã Diana".
Paralelamente, ao falar sobre a não concessão do visto para a freira, o ex-presidente da câmara dos deputados dos EUA Newt Gingrich disse o seguinte: "este é um governo que parece sempre encontrar uma desculpa boa o suficiente para não ajudar os cristãos, mas sempre encontra uma desculpa para se retratar em relação a terroristas... Espero que ao chamar a atenção, o Secretário de Estado John Kerry mude a situação. Caso contrário, o Congresso terá que investigar e quem tomou essa decisão deve ser demitido".
Em uma entrevista concedida a J.D. Hayworth da Newsmax TV, Johnnie Moore reconheceu que os telespectadores da Newsmax TV ajudaram a pressionar, pesadamente, a administração Obama para que a Irmã Diana Momeka pudesse vir a Washington para falar sobre a perseguição de cristãos da sua nação devastada pela guerra: "deu certo, as pessoas se fizeram ouvir. Elas escreveram aos seus congressistas e senadores, pressionaram todo mundo, em todos os lugares. ... E o visto foi concedido. ... Esta é a melhor demonstração do que acontece nesse país quando as pessoas levantam suas vozes".
Mas a questão Ogebe continua: por que os EUA estão minimizando ou negando os ataques contra cristãos?
Traduzido por Joseph Skilnik do artigo original do Instituto Gatestone: U.S. State Dept. Invites Muslim Leaders, Denies Christians
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Outros artigos de Raymond Ibrahim:
Confirmado: Os EUA são o Principal Facilitador da Perseguição aos Cristãos

quinta-feira, 14 de maio de 2015

As participações brilhantes de Kim Kataguiri e Fernando Holiday em Uberlândia nos enchem de esperança

holiday
Hoje recebi dois vídeos mostrando a participação de Kim Kataguiri e Fernando Holiday na Câmara Municipal de Uberlândia nesta quarta-feira, 13/05. É que como eles estão na Marcha Pela Liberdade, passam por várias cidades no caminho. Ontem foi o dia de Uberlândia.
O que vi nestes dois vídeos inclui assertividade, ótimos frames, indignação e vontade. Algo que deve inspirar muitos da direita brasileira.
Muitas vezes torna-se irritante vermos pessoas da direita chegando no Facebook e dizendo “ah, é questão de tempo para o PT conquistar tudo” ou “por favor, desistam”. Sinto ter que dar este cutucão, mas agir assim não é lutar pelo Brasil. Ao contrário, tais ações são manifestações egocêntricas e/ou instintivas. Desabafo com foco em desânimo de tropa não é luta. Mais ajuda o adversário do que atrapalha. Ao contrário, o que precisamos é de atitudes como as que veremos nos dois vídeos abaixo, respectivamente de Kim Kataguiri e Fernando Holiday.
Kim Kataguiri:

Fernando Holiday

E podemos agir assim. Em qualquer manifestação pública que fizermos. Em qualquer post que escrevermos. Em qualquer e-mail de pressão que enviarmos. É uma luta. Na política, é preciso agir assim.
Fonte: http://lucianoayan.com/2015/05/14/as-participacoes-brilhantes-de-kim-kataguiri-e-fernando-holiday-em-uberlandia-nos-enchem-de-esperanca/

ARMA DE FOGO MATA 116 POR DIA NO PAÍS, SEGUNDO MAPA DA VIOLÊNCIA.

Relatório, baseado em dados de 2012, foi divulgado nesta quarta (13).

94,5% foram vítimas de homicídio; jovens são os que mais morrem.


Levantamento do Mapa da Violência 2015 mostra que 42.416 pessoas morreram em 2012 vítimas de armas de fogo no Brasil, o que equivale a 116 mortos por dia. Deste total, 94,5% foram mortes por homicídio. Os dados fazem parte do estudo “Mortes Matadas por Armas de Fogo”, divulgado nesta quarta-feira (13) pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Conforme o levantamento, que é realizado desde 1980, a taxa de mortalidade por armas de fogo foi a segunda mais alta do país na série histórica: 21,9 óbitos para cada 100 mil habitantes. Estão incluídos os casos de homicídio, suicídio, mortes por acidente e em circunstâncias indeterminadas. A maior taxa já registrada foi em 2003, de 22,2 mortes para cada 100 mil habitantes.

Já a taxa de homicídios com armas de fogo, que em 2012 atingiu 20,7 para cada 100 mil habitantes, foi a mais alta já registrada.

Segundo o estudo, que separa os dados dos homicídios por faixa etária, os jovens de 19 anos são as principais vítimas, com 62,9 mortes para cada 100 mil habitantes. Em seguida vêm os de 20 anos, com 62,5 mortes para cada 100 mil habitantes.

Os dados do levantamento, realizado pelo sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, são do Subsistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde. O SIM é baseado nas declarações de óbito expedidas no país, contendo local e características das vítimas, como idade, cor e gênero.

De 1980 a 2012, foram 880.386 mortes por armas de fogo no Brasil. Destas, 747.760 pessoas foram assassinadas —aumento de 556,6% no período.

Ainda conforme uma projeção realizada pelo Mapa da Violência, 160.036 vidas teriam sido poupadas após a aprovação do Estatuto do Desarmamento, em 2003. Desse total, 113.071 seriam de jovens.

Jovens

Os jovens são as maiores vítimas das mortes por armas de fogo no Brasil. De 42.416 óbitos em 2012, 24.882 foram de pessoas entre 15 e 29 anos (59%).

A taxa de mortalidade de jovens por armas de fogo era mais do que o dobro da geral nacional: 47,6 para cada 100 mil habitantes. A taxa e o número absoluto de jovens mortos são os mais altos já registrados pelo levantamento.

Estados e regiões

De 2002 a 2012, a região Sudeste teve queda de 39,8% na taxa de mortes por armas de fogo. As principais quedas foram nos estados de São Paulo (- 58,6%) e Rio de Janeiro (- 50,3%).

No mesmo período, as demais regiões tiveram aumento: Norte (135,7%); Nordeste (89,1%); Sul (34,6%) e Centro-Oeste (44,9%).

Alagoas foi o estado com a maior taxa —55 óbitos para cada 100 mil habitantes. Roraima, com 7,5, apresentou a menor. O Maranhão teve aumento de 273,2% na taxa de mortes.

Capitais

Maceió apresentava a maior taxa de mortalidade por armas de fogo na população total, de 79,9; e Boa Vista, a menor, com 7,1. São Luís teve o maior aumento, de 316%.

O município de Simões Filho, na Bahia, é o primeiro da lista na mortalidade geral e de jovens. Foram 130,1 óbitos para cada 100 mil habitantes. Entre os jovens, a taxa atingiu 314,4 óbitos pra cada 100 mil habitantes.

Perfil

Ainda segundo o estudo, em média, morreram proporcionalmente 285% mais jovens do que “não jovens” por assassinato praticado com armas de fogo.

Do total de mortes contabilizadas, 10.632 foram de brancos e 28.946, de negros. O número corresponde a 142% mais negros que brancos mortos por armas de fogo. Além disso, 94% das vítimas fatais eram do sexo masculino.

A divulgação do estudo foi feita em parceria da Secretaria Geral da Presidência da República, da Secretaria Nacional de Juventude, Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Unesco no Brasil (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e Faculdade Latino Americana de Ciências Sociais.

Taxa de mortes por arma de fogo em 2012*
Alagoas55
Espírito Santo38,3
Ceará36,7
Bahia36,3
Paraíba33
Goiás31,7
Sergipe31,2
Distrito Federal30,3
Rio Grande do Norte28,8
Pará28,8
Pernambuco28
Paraná24,3
Amazonas24,2
Mato Grosso22,8
Rondônia22,5
Rio de Janeiro22,1
Rio Grande do Sul18,5
Maranhão18,4
Minas Gerais17
Amapá16,7
Mato Grosso do Sul14,3
Tocantins13,4
Acre12
Piauí11,2
São Paulo10,1
Santa Catarina8,6
Roraima7,5
*Número de mortes para cada 100 mil habitantes.
Fonte: SIM/SVS/MS - 2012

Fonte:  G1