Carregando...

domingo, 7 de julho de 2013

Escola "microchipando" alunos: mais uma razão para o homeschooling

chipadaN. da T.: Temos aqui mais uma razão para o homeschooling? A matéria a seguir não é nova. Foi publicada há um ano (em junho de 2012) pela jornalista Jenny Inglee, e relata o paulatino avanço das medidas governamentais de controle total da sociedade (aqui, especificamente voltada para as crianças). No entanto, já outras medidas avançam por diferentes frentes: como os nanochips implantados em soldados (sob pretexto de controle de saúde) e em alimentos.

Os mesmos governos que investem na relativização e desmantelamento da estrutura familiar tradicional, na amenização das punições contra os bandidos e que, portanto, logicamente, estimulam a delinqüência, são os mesmos que querem, sob o pretexto da segurança, habituar as crianças ao controle total desde cedo. 

Quem serão os favorecidos com a instauração de uma sociedade frágil em vínculos naturais e massiva em redes artificiais de controles?

Indo longe demais? Escola no Texas vai “microchipar” alunos
Jenny Inglee

No próximo ano (o corrente ano de 2013), estudantes da cidade de San Antonio, no Texas, serão recebidos na escola com um sorriso caloroso e com um rastreador que deverá ser posto em seus pescoços. O Sistema de Identificação por Rádio Frequência monitorará todos os movimentos dos alunos mais velhos (das últimas séries do ensino fundamental e também do ensino médio) em horário de aula.


Há algumas razões para que o Distrito Escolar Independente Northside adote o sistema de rastreamento. O porta-voz do distrito, Pascual Gonzalez, explicou: "Queremos aproveitar o poder da tecnologia para tornar as escolas mais seguras, para saber onde estão os nossos alunos durante todo o tempo em que estão na escola e para aumentar a receita. Os pais esperam que sempre saibamos onde seus filhos estão e esta tecnologia nos ajudará nisso.

Como disse Gonzalez, as RFID (Radio Frequency Identification System) não estão sendo implementadas apenas para manter os estudantes seguros. O sistema de rastreamento está, em parte, sendo adotado devido a cortes orçamentais. O San Antonio Express-News informa: 

O distrito planeja gastar 525,065 de dólares para implementar o programa piloto e 136,005 de dólares por ano para mantê-lo, mas ele mais do que pagará a si mesmo, previu Steve Bassett, superintendente assistente de orçamento e finanças de Northside. Se for bem sucedido, Northside receberá 1,7 milhões de dólares no ano que vem, advindos tanto da maior frequência dos alunos quanto de reembolsos Medicaid para o transporte de estudantes de educação especial.

Alguns pais estão céticos sobre a nova tecnologia. Margaret Luna, uma das mães do distrito, disse: "Espero que os professores ajudem a motivar os alunos para que eles estejam em seus lugares, em vez de o distrito ter que fazer isso, mas eu acho que isso é o que acontece quando você não tem dinheiro suficiente."

Northside não é o primeiro distrito que adotou dispositivos de rastreamento. Dois distritos em Houston tiveram sucesso com a tecnologia GPS e, em 2011, o Distrito Escolar Anaheim Union High, na Califórnia, participou de um programa de seis semanas que acompanhou alunos da sétima e oitava séries com registros de baixa frequência à escola.

Enquanto isso, uma cidade no Brasil (Vitória da Conquista, na Bahia) tem levado a questão do rastreamento de seus alunos a um novo patamar. Em março deste ano, a BBC informou que 20 mil alunos do ensino fundamental usarão uniformes embutidos com dispositivos de localização GPS. Os pais recebem uma mensagem de texto quando a criança chega à escola ou se elas estão atrasadas. Coriolano Moraes, secretário municipal de educação, diz que o sistema de monitoramento foi posto em prática porque os pais não sabiam que seus filhos saíam para matar aulas.



Do Take Part.

Tradução: Camila Hochmüller Abadie

via mídia sem máscara

Nenhum comentário:

Postar um comentário