Carregando...

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Samira Saleh al-Naimi foi debater com o Estado Islâmico. Resultado: foi morta em praça pública. Dilma, cadê você?

 


avocate
A ideia mais grotesca da semana com certeza foi a proposta de Dilma pedindo “diálogo” com os terroristas islâmicos decepadores de cabeças. Já falei do assunto aqui e aqui. Agora vemos uma notícia mostrando que uma nova instância de “diálogo” do Estado Islâmico ocorreu diante de quem discorda deles. Leia o texto Jihadistas executam militante dos direitos humanos no Iraque, do Terra:
O grupo Estado Islâmico (EI) executou em praça pública uma ativista dos Direitos Humanos em Mossul, cidade que controlam no norte do Iraque, depois que ela criticou os jihadistas nas redes sociais, anunciaram nesta quinta-feira militantes e parentes.
De acordo com moradores e organizações de defesa dos direitos Humanos, Samira Saleh al-Naimi foi executada na segunda-feira. Uma fonte do necrotério de Mossul confirmou que seu corpo havia sido levado para o local neste dia.
“Eu estive em contato com o necrotério e, infelizmente, posso confirmar que ela está morta”, declarou à AFP Hana Edward, renomada ativista iraquiana que conhecia a vítima.
Seus pais foram informados na terça-feira de que o corpo de sua filha estava no necrotério, relatou um vizinho do casal que falou sob condição de anonimato.
“Ela foi raptada há uma semana e seu corpo foi devolvido” na segunda-feira, informou por telefone este vizinho.
“Quando sua família perguntou o que ela tinha feito para merecer isso, foi informada de que (sua filha) deveria ter se arrependido por postar comentários no Facebook denunciando a destruição de santuários pelo EI”, acrescentou.
O EI, que proclamou um califado nos territórios conquistados no Iraque e na Síria, defende um retorno às origens do Islã e já destruiu vários templos muçulmanos, pois condena o ato de venerar locais de sepultamento.
O Gulf Centre for Human Rights afirmou que a advogada Samira Saleh al-Nuaimi havia descrito como “barbárie” a destruição do patrimônio iraquiano.
Quem não percebe o tamanho da afronta praticada por Dilma com certeza é uma pessoa com problemas. Dilma não afrontou apenas seus adversários políticos, como também a civilização. Simples assim. De lambuja, afrontou todos aqueles que prezam os Direitos Humanos.
Que Dilma vem praticando bizarrices no âmbito da política internacional desde o início do seu governo (minto: essa prática vem desde o início do governo do Lula), quanto a isso ninguém mais duvida. Mas esse discurso vergonhoso de Dilma na ONU foi realmente a cereja do bolo.
Fonte: http://lucianoayan.com/2014/09/25/samira-saleh-al-naimi-foi-debater-com-o-estado-islamico-resultado-foi-morta-em-praca-publica-dilma-cade-voce/

Nenhum comentário:

Postar um comentário