Carregando...

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Cuidado: Você está sendo monitorado pela nação mais poderosa do mundo!

Julio Severo
De longe, o maior escândalo desta semana é a revelação de um ex-técnico da CIA mostrando como os serviços de inteligência dos EUA estão monitorando no Facebook, Google, Apple, Microsoft, Skype e vários outros meios amplamente utilizados pela população mundial.
Edward Snowden
O responsável pelas denúncias gravíssimas é Edward Snowden, que vazou os dados sobre a espionagem do governo dos Estados Unidos nos cidadãos do mundo. Foi o maior vazamento da história dos EUA.
Se Snowden tivesse revelado seus segredos diretamente ao público, o veriam como louco ou adepto de teorias de conspiração. Um paranoico achando que hoje existe algum tipo de governo imaginado por George Orwell em sua obra “1984.”
Apesar disso, nem tudo o que ele vazou foi publicado, pois os jornais que ele procurou tiveram o “cuidado” de filtrar e limitar muito as denúncias, a fim de não atraírem a ira do governo americano.
A desculpa para a agressiva monitoração dos EUA é a guerra contra o terrorismo, que deveria se limitar à ideologia responsável pelo ataque terrorista de 11 de setembro de 2001 nos EUA. Esse ataque foi motivado exclusivamente pela ideologia islâmica.
Mas em vez de focar nessa ideologia, o governo dos EUA tem se prostrado diante dos islâmicos. O governo americano parece estar, desde 11 de setembro de 2001, obcecado com a promoção do islamismo no mundo inteiro. O ataque terrorista de 12 anos atrás foi a melhor coisa que já aconteceu ao islamismo, que está agora se propagando como incêndio descontrolado.
A guerra contra o terrorismo, que deveria focar nos islâmicos, virou guerra de terror para o mundo que não é islâmico.
Entendo as razões para o governo americano desviar totalmente o foco. Arábia Saudita, Turquia e outras nações islâmicas são a origem de grandes investimentos nos países ocidentais, especialmente nos EUA.
Enquanto as populações desses países vivem quase que na pobreza, seus líderes acumulam dinheiro nos bancos ocidentais, principalmente nos bancos americanos. Eles são também grandes acionistas em grandes empresas americanas e europeias.
Os EUA não podem se voltar contra seus investidores. O dinheiro dos opressores é mais importante do que o sangue dos oprimidos
A maioria dos terroristas que atacaram os EUA em 11 de setembro de 2001 era de islâmicos da Arábia Saudita e, segundo informação que recebi do meu amigo Don Hank, haviam recebido visto de entrada para os EUA através de um agente da CIA.
A CIA, que está monitorando o mundo inteiro, dá vistos para terroristas, e depois o resto do mundo tem de pagar por suas “negligências”?
É fato que o atual governo americano está engajado, desde seu início, na espionagem de grupos pró-vida e conservadores. Eu mesmo fui notícia nos EUA por tal monitoração. Esse caso se tornou manchete no WND, um dos maiores sites noticiosos conservadores dos EUA. Para ver essa notícia traduzida em português, siga este link: http://bit.ly/13ALnVo
A manchete original em inglês está aqui: http://www.wnd.com/2011/07/327769/
Tudo o que faço é combater a agenda gay e abortista. E exerço meu ministério num tempo em que a prioridade da política externa americana é promover a agenda gay, abortista e islâmica.
O que o governo americano seria capaz de fazer em prol dessa política? Não sei. Mas o fato é que quando você está usando os serviços do Facebook, Google, Apple e Microsoft, você não está sozinho. Está agora comprovado que os serviços de inteligência dos EUA estão vigiando você e registrando suas posturas nas questões do aborto, homossexualismo e possivelmente até se você é contra a ideologia islâmica.
Um dia esses registros invasivos poderão ser usados contra cristãos que se opõem ao governo mundial? Deus sabe.
O trágico é que pessoas como eu e você podem ser monitoradas pelo governo dos EUA, mas os islâmicos, não. Pudera: há hoje um homem na Casa Branca com nome totalmente islâmico: Barack Hussein Obama.
Para fazer justiça à sua ideologia, Obama escolheu um muçulmano como diretor da CIA.
A nação fundada por cristãos perseguidos hoje se presta a servir aos maiores perseguidores de cristãos. Os islâmicos acreditam que, com Obama na Casa Branca, suas orações foram ouvidas.
Acredito que nossas orações também estão sendo ouvidas. Desde os tempos do Antigo Testamento, o povo de Deus ora conforme a vontade de Deus. E a Bíblia deixa claro que é a vontade de Deus frustrar os planos das nações: “O SENHOR desfaz os planos das nações e frustra os intentos dos povos.” (Salmo 33:10 KJA)
É coincidência que os planos mais sinistros da CIA e outras agências de espionagem dos EUA contra os cidadãos inocentes do mundo estejam sendo expostos e frustrados? É resposta a muitas orações. Oremos por Edward Snowden, para que ele tenha um encontro com Cristo.
Oremos também para que Deus levante homens semelhantes no Brasil, que possam expor para o público os planos mais sinistros do governo do Brasil.
Há Alguém maior, acima dos EUA, vigiando e monitorando. Alguém que um dia lhes fará cobrança por tanta isenção para os islâmicos, mas intromissão na vida e atividades dos cristãos conservadores. Alguém que lhes cobrará que em vez de usarem seu poder para proteger os fracos e oprimidos, eles se colocaram ao lado de seus investidores, que oprimem inocentes populações cristãs.
Há uma minoria, um remanescente que verdadeiramente segue a Cristo, nos EUA que geme com o rumo maligno que essa nação escolheu trilhar. É por causa dessas súplicas dirigidas ao Altíssimo que vemos os planos mais secretos e ímpios da nação mais poderosa do mundo sendo repetidamente frustrados.
Precisamos juntar nossas orações às súplicas desse remanescente americano, pois as políticas homossexualistas, abortistas e islamistas do governo dos EUA estão apressando a instauração do governo mundial do Anticristo e colocando cidadãos inocentes do mundo inteiro debaixo dos olhos espionadores desse governo.
Leitura recomendada:
Sobre o Ministério de Segurança Nacional:
Governo americano e imperialismo homossexual:
Sobre a CIA:

Nenhum comentário:

Postar um comentário